Menu fechado

AUMENTA A PROCURA POR ESPECIALISTAS DIREITO PREVIDÊNCIÁRIO

Diante da expectativa de aprovação da reforma da Previdência tem aumentado cada vez mais a busca por especialistas do Direito Previdenciário, muitos acionam advogados e especialistas nesta área na esperança de adiantar a aposentadoria e não perder direitos por conta da reforma.

A maioria das pessoas que procura pelo aconselhamento desses profissionais tem entre 53 e 65 anos, e alguns pretendem se aposentar por idade antes da reforma, mesmo correndo o risco de perder até 40% da renda per capita, porque não sabem o que pode acontecer após a reforma.

O quanto antes os contribuintes que estão prestes a se aposentar, ou até mesmo os aposentados que podem revisar seus benefícios, devem procurar um especialista. Há muitas incertezas nessa proposta de reforma da previdência. E isso gera uma preocupação com as medidas que estão para ser votadas no Congresso.

O profissional previdenciário com a sua consultoria poderá informar se essas novas medidas irão alcançar o contribuinte ou não, reivindicar o direito do beneficiário junto ao INSS.

Apesar de que o projeto de lei ainda não foi encaminhado para votação no Congresso, mas existe grande preocupação, não se sabe o que o Congresso irá decidir.

Sabemos que uma delas é com a idade mínima para aposentadoria, mínima das mulheres de 62 e 65 para homens, o que pode prejudicar aqueles que começaram a trabalhar mais cedo. Há outras mudanças sugeridas que preocupam aqueles que já contribuem.

ORIENTAÇÕES

Os profissionais orientam que aqueles que têm dúvidas com relação ao benefício da aposentadoria procurem o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e solicitar um extrato do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), que contém dados das contribuições do INSS. Assim, pode-se analisar quanto tempo tem de contribuição e quais a possibilidade de aposentadoria.

TRABALHADOR RURAL

Nos casos de pessoas que trabalharam na zona rural e passaram a trabalhar na zona urbana, é importante procurar o INSS para realizar a averbação desse período.

Buscar consultoria é mais importante ainda, pois essas pessoas que trabalharam anos na zona rural, e foram para a cidade começar a trabalhar e passaram a ter vínculo urbano, pode faltar pouco tempo para ela se aposentar, mas não tem recolhimento suficiente e a averbação do tempo em que atuou na zona rural pode facilitar na aquisição do beneficio.

OUTROS CASOS

Também há os casos de tempo especial, para trabalhadores que atuaram em atividades insalubres. O tempo especial dá um acréscimo ao tempo de contribuição, então essa pessoa pode não ter o tempo necessário hoje, mas se fizer a conversão, vai passar a ter tempo requerido.

CASO DE DÚVIDA

Em caso de dúvida, o contribuinte deve procurar um especialista em Direito Previdenciário. Esse técnico vai saber se essas novas medidas irão alcançar o contribuinte ou não. Assim poderá sanar a preocupação e garantir os benefícios antes dessas novas medidas serem aprovadas.

Apesar de entendermos que a PEC 6/2019, a reforma da previdência pode prejudicar o trabalhador que começou a contribuir mais cedo com o INSS, mas cada caso deve ser analisado separadamente, nem sempre a regra é simples e se aplica a todos, mas vários fatores influenciam em cada caso.

Você pode conseguir seu beneficio, não perca tempo!

Publicado em:Últimas Notícias