Menu fechado

Como RECEBER o Teto Máximo do INSS?

Antes de tudo, o que é teto de aposentadoria?

O teto da aposentadoria, nada mais é do que o valor máximo possível que o aposentado pode receber no valor do seu benefício.

Esse valor de teto é estabelecido para que o valor pago pelo estado ao aposentado tenha um limite, muitos trabalhadores ao se aposentarem, recebem um valor muito maior do que um salário mínimo, se o valor do benefício foi igual ao valor que esse trabalhador recebia antes, seria muito custoso à previdência.

Por isso é estabelecido um teto máximo do valor da aposentadoria, ou seja, uma limitação para não desequilibrar o sistema previdenciário.

A partir de janeiro de 2019, os aposentados e também os pensionistas passarão a receber seus benefícios com um reajuste de 3,43%.

Esse reajuste só é válido para quem recebe mais do que um salário mínimo.

Mas qual é o valor do teto hoje em dia?

Hoje o teto do INSS chegou à R$5.839,45. Antes do reajuste de 3,43% o valor máximo de uma aposentadoria era de R$5.645,80, ou seja, o teto máximo teve um acréscimo de R$193,65.

A Legislação determina que o teto da aposentadoria seja definido conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, conforme o ano anterior e com base ao IBGE esse valor em 2018 a porcentagem foi de 3,43%, por isso esse valor foi adicionado ao teto máximo da aposentadoria.

O que fazer para se aposentar ao teto máximo?

O cálculo da aposentadoria é estabelecido com base na soma das suas contribuições, são muitos cálculos que tem de ser feito antes de saber o valor que o aposentado receberá, mas essa parte explicamos em uma outra matéria ou vídeo.

Para o trabalhador conseguir se aposentar ao teto, existe uma forma cara, porém simples, é necessário contribuir com 11% do valor do teto por 80% da sua vida, ressaltando que o teto é atualizado anualmente.

Além de contribuir dessa maneira é necessário que o cliente tenha uma idade mínima e o tempo de contribuição suficiente para conseguir se aposentar ao teto máximo.

Esse tempo e essa idade pode também ser restabelecidos conforme a Reforma da Previdência, sendo assim, é importante ficar atento à Reforma.

Levando em consideração o teto máximo de 2019, caso você trabalhe com carteira assinada e receba o valor exatamente do teto ou mais, deverá ser contribuído 11% de R$5.839,45 que é o valor do teto em 2019, o valor de contribuição então será de R$642,00 por mês, valor esse que será descontado na folha de pagamento referente ao INSS.

Caso você não trabalhe com carteira assinada, seja como autônomo ou contribuinte individual, o valor de contribuição deverá ser de 20% referente ao valor do teto que é de R$1.167,89.

Com todas essas informações, podemos saber que é difícil conseguir se aposentar no teto máximo, mesmo recebendo alto valor com carteira assinada, pois o INSS soma os 200 salários mais altos nos últimos 20 anos de trabalho.

Mas você deve estar se perguntado, mas os maiores valores que contribui, foi antes desses 20 anos, na década de 70, 80 e 90. Esse valor não é considerado?

A resposta dessa pergunta é NÃO!

Os valores de contribuição antes de 1994 não são considerados no cálculo da sua aposentadoria, mas te informamos que é possível você fazer uma revisão da sua aposentadoria, essa revisão é conhecida como “Revisão da Vida Toda”.

Quer saber maiores informações referente a essa revisão?

Nós temos um Workshop online onde abordamos diversos assuntos referentes a sua aposentadoria e também apresentamos “Os 9 erros que o INSS cometeu no cálculo da sua aposentadoria que talvez você desconheça”.

Saiba como trazer melhorias para o seu benefício!

Não deixe essa oportunidade passar, pois a vaga para esse Workshop Online é totalmente limitada.

O alerta de hoje é IMPERDÍVEL e trará uma solução EXCLUSIVA para aumento de ganhos na sua aposentadoria em até 60%!

Queremos que você conheça em primeiríssima mão 9 situações para revisar seu benefício ANTES da Reforma da Previdência!

Você quer nossa ajuda?

Então, assista agora nosso workshop “ Os 9 erros que o INSS cometeu na sua aposentadoria que IMPEDEM que você receba uma aposentadoria mais vantajosa! ”

Editorial do Aposentadoria Notícia.

Publicado em:Últimas Notícias