Menu fechado

DIVISOR MÍNIMO – ENTENDA COMO É FEITO O CALCULO DO VALOR DO SEU BENEFÍCIO

No conteúdo publicado anteriormente explicamos que para calcular o benefício previdenciário é importante ter um profissional especializado.

Mencionamos também a importância de analisar cada caso como único, de forma minuciosamente, observando cada detalhe para que o pagamento seja justo e correto.

E destacamos que é tantas regras, tantos benefícios e tantas mudanças que fica difícil fazer a revisão sem ajuda de um profissional. E, pontuamos os detalhes para entendemos como funciona o cálculo para as principais aposentadorias, seja ela por tempo de contribuição até a por idade.

São 9 principais pontos importantes para calcular o benefício, no conteúdo anterior falamos sobre a MÉDIA DOS 80% MAIORES SALÁRIOS, e neste contexto vamos pontuar o tema DIVISOR MÍNIMO e no próximo explicaremos sobre o FATOR PREVIDÊNCIÁRIO.

DIVISOR MÍNIMO: COMO É USADO

Divisor mínimo é outro elemento que é considerado durante o cálculo de benefício. Como explicamos anteriormente, o cálculo leva em conta a média dos 80% maiores salários depois de julho/1994. Isso é um fato, mas como toda regra há uma exceção.

O objetivo do divisor mínimo é evitar que os segurados tenham o valor de seu benefício artificialmente elevado pela metodologia de cálculo, sem que seja feito o correspondente custeio à Previdência Social, mediante contribuição sobre o valor do teto de contribuição apenas a partir de julho de 1994.

Em outras palavras, a regra é: o cálculo do salário de benefício será a partir da competência de julho de 1994, considerando a média aritmética simples dos maiores salários de contribuição. A exceção, porém, é justamente a aplicação do divisor mínimo.

Nos casos em que o segurado tiver menos de 60% das contribuições entre 07/1994 e a data de início do benefício, o salário de benefício será calculado pela soma de todos os salários de contribuição do período (sem a regra dos 80%), dividido pelo mínimo divisor (60% do período decorrido). Essa hipótese, porém, somente será aplicada às aposentadorias programáveis, ou seja, aposentadoria por idade, tempo de contribuição e especial.

Portanto quem começou a pagar INSS antes de 1998 e contribuiu poucas vezes para o INSS após 07/1994, deve estar atento ao divisor mínimo.

VEJA COMO É FEITO:

Soma todos os salários de contribuição atualizados. Encontra o divisor mínimo, que é a quantidade em meses equivalente a 60% do período após 07/1994 até o mês anterior a aposentadoria. Divide a soma dos salários de contribuição atualizados pelo divisor mínimo.

Exemplo: uma pessoa deu entrada na aposentadoria em julho/2019. Então entre 07/1994 a 06/2019 existem 300 meses. A pessoa pagou apenas 120 meses (menos de 180 meses, 60% dos 300 meses), assim, é feita a soma dos salários que será dividida por 180. Deixando de ser usada a regra dos 80% maiores salários.

O QUE OS ESPECIALISTAS ANALISAM NO DIVISOR MÍNIMO

Um especialista direito previdenciário é muito importante. O profissional qualificado irá analisar cada caso com as suas particularidades.

Será trabalho deste especialista analisar quando for aplicada a regra de DIVISOR MÍNIMO os períodos que podem ser considerados sem você precisar pagar INSS em atraso, como trabalhistas, vínculos sem registros, erros nos dados do INSS, trabalho como contribuinte individual para empresa após 2003. Esse detalhe aumentará o número de meses com contribuição e diminuirá o impacto do divisor mínimo.

Também verificará a possibilidade de realizar contribuições em atraso. Isso também aumentará o número de meses com contribuição e reduzirá o impacto do divisor mínimo.

E fará a avaliação da possibilidade de esperar para se aposentar um pouco mais tarde e aumentar o número de contribuições

No próximo contexto vamos falar sobre FATOR PREVIDENCIÁRIO. Acompanhe os nossos conteúdos no site aposentadorianoticia.com.br. Consulte os nossos especialistas, não saia de casa, aproveite a segurança e a comodidade e faça tudo on line.

S

Publicado em:Últimas Notícias